Pornografia: saindo do fundo do poço

Há algum tempo conheci o ministério Celebrando a Recuperação, na Igreja Batista do Ipiranga (ministrado também na Igreja Batista do Morumbi), que trata de pessoas com desvios comportamentais, especialmente compulsões e vícios. Lá fui informado de que o comportamento do viciado é sempre o mesmo, independentemente de qual seja o objeto de vício (cigarro, drogas ou chocolate). A atividade cerebral é a mesma tanto no viciado em crack quanto no pornógrafo. O que muda são as consequências no físico e no ambiente social dos viciados. Enquanto um viciado em crack definhará e buscará pedras na Cracolândia, um pornógrafo pode não ter qualquer mal físico imediato e acessar seu vício de sua casa, pelo computador.

Curiosamente, os vícios começam praticamente da mesma maneira: aos poucos, em doses “sociais”, aumentando em quantidade e “qualidade”. O sujeito começa usando maconha e termina no crack. Ou pega uma revista com “ensaios sensuais” e  “nus artísticos” e termina assistindo filmes de orgias sadomasoquistas zoofilistas (nem sei se isso existe, mas foi a coisa mais bizarra que pensei).

Isso tudo me ocorreu ao ler a história de Donny Pauling, um ex-produtor de conteúdo pornográfico que se converteu. Troquei algumas mensagens com ele e pedi autorização para publicar aqui um resumo de sua história.

Donny teve contato com pornografia ao encontrar uma revista na rua, quando estava no último ano do ensino médio. Embora tivesse achado aquilo estranho, ao mesmo tempo sentiu um certo prazer. Mal sabia que aquilo retornaria em sua vida de forma tão forte.

O tempo passou e Donny se casou.

Em 1997, começou a se interessar por pornografia e, como fotógrafo, passou a produzir material em casa nas horas de folga, quando sua esposa estava trabalhando ou dormindo. Ele só não contava com o sucesso… Seu negócio “clandestino” passou a gerar lucro, exigindo dele mais tempo, de modo que o hobby acabou virando atividade profissional. Durante três anos ele produziu conteúdo pornográfico pelas costas de sua esposa, mas sabia que teria que contar aquilo a ela um dia.

Donny estava em uma convenção de pornografia em outro estado quando ligou para sua esposa e lhe disse tudo. Seu casamento terminara ali. Quando retornou, Donny se mudou para o escritório que tinha e no primeiro mês dedicando tempo integral ao novo negócio, ganhou mais de 50.000 dólares.

Ele estava cheio de ódio, amargura e dinheiro, ingredientes cuja combinação o fizeram mergulhar bem fundo na pornografia. Com o passar do tempo, Donny se tornou um produtor bem sucedido, assinando contratos com a Playboy.

Em 2006, após uma reunião com a Playboy TV onde fechara um contrato para a realização de um reality show lésbico, com ganhos de 4.000 dólares por dia, Donny teve um comportamento bastante estranho: ele saiu da reunião e agradeceu a Deus pelo novo contrato. Chocado, percebeu que estava mesmo falando com Deus, e isso o deixou petrificado. Poucos dias depois, Donny, que estava frequentando reuniões com pessoas da XXX Church (uma igreja focada em atingir pessoas envolvidas com pornografia), se converteu e abandonou por completo a indústria do “entretenimento adulto”.

Hoje ele é pastor e testemunha abertamente sua mudança de vida. Seu testemunho ajudou muitos a se libertarem da pornografia. Você pode ler mais sobre ele em seu site (http://www.donnypauling.com/blog)

Eu creio plenamente na conversão desse homem, e no poder de Deus para restaurá-lo por completo. De quebra, Deus aproveita todo o histórico dele como ferramenta de encorajamento para milhares de homens que buscam se libertar da escravidão que é o vício em pornografia. Donny foi liberto por Deus e contou com homens dispostos a ajudá-lo. Cristãos como os da igreja XXX Church devem servir de exemplo para que deixemos as quatro paredes e avancemos na direção dos que precisam de Cristo.

Para terminar, quero fazer dois apelos.

O primeiro é para aqueles que querem se libertar da pornografia. O que Deus fez na vida de Donny Pauling pode se repetir na sua também, não importa o quão envolvido você esteja. Se a pornografia está tentando destruir seu lar, procure ajuda. Não tenha vergonha disso. Sempre há tempo para restauração, mas você precisa dar o primeiro passo. Caso você não saiba a quem recorrer, entre em contato comigo e tentarei ajudá-lo da melhor maneira possível.

O segundo é para aqueles que têm experiência em aconselhamento e podem ajudar pessoas viciadas em pornografia. Preciso de pessoas para indicar àqueles que me procurarem. Pastores, líderes, cristãos autênticos, capazes de estender a mão sem julgar, homens de aliança, é hora de agir! Conto com vocês.

Esta entrada foi publicada em Casamento, Família e marcada com a tag , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

3 comentários para "Pornografia: saindo do fundo do poço"

  1. Renato 29 de novembro de 2011 às 7:16 am 1

    A Paz. Conte comigo nesta.
    Um abraço.
    Renato

  2. Marcio Madeira 28 de novembro de 2012 às 11:49 am 2

    Me retorne se este comentário for lido.
    Obrigado

  3. Eduardo Rocha 11 de dezembro de 2012 às 7:04 am 3

    Foi lido hoje. Obrigado.


Escreva um comentário