Por favor, diga …

Desde a infância, os homens escutam que não devem chorar. Qualquer demonstração de sentimento pode ser interpretada como sinal de fraqueza – e homens não são fracos! Homem que é homem é forte, durão, é macho! Esses são os valores que nossa sociedade insiste em imprimir nos homens.

Quando criança, sempre acreditei nisso. Homem não podia chorar, nem de raiva! Porém, com o tempo aprendi que os verdadeiros homens não são os mais fortes, mas sim aqueles que possuem um coração afável, que sabem amar e expressar o que sentem.

Homens que não choram possuem um coração duro. Tão duro que não conseguem cultivar nele sentimentos mais nobres, e acabam se tornando pessoas amargas. Esquecem-se de que sua família precisa receber palavras e atitudes de incentivo, amor e carinho, que só existem se o pai for um homem amável e bondoso.

Uma das lições mais marcantes do curso Homem ao Máximo tem o título “Afetuoso, mas enérgico também”, que trata justamente de como os homens tendem a ser rigorosos e enérgicos quando poderiam muito bem serem mais amáveis, principalmente com seus familiares. Não vou aqui repetir a lição do curso, pois isso tiraria a graça e o incentivo para você fazê-lo. Mas não posso deixar de escrever sobre o tema, então decidi reproduzir o excelente texto escrito por Dennis Rainey no livro Meditações Diárias para Casais, da editora United Press, que aborda de forma bastante clara o assunto:

O Caso para Homens Afáveis (por Dennis Rainey)

Sejam bondosos e compassivos uns para com os outros … (Efésios 4:32)

Pergunto-me quantos homens olham esta passagem e pensam – isso não é comigo. Desde os primeiros anos muitos homens são ensinados a não chorar, não demonstrar sentimentos, não ser bonzinhos com suas esposas e filhos.

Há uma real necessidade imediata de que os homens sejam pais que amem e conduzam suas famílias – que não tenham medo de ser afáveis ou gentis.

Ouvi uma jovem senhora contar uma história que ilustra bem este ponto. Desesperada por não ter atenção de seu pai insensível, ela se viu presa por furtar uma loja. Isso não adiantou, por isso ela decidiu deixar de comer. Acabou perdendo o apetite e, mais tarde, surgiu um tumor na cabeça, que os médicos atribuíram em parte por sua condição de subalimentada.

“Eu estava deitada em meu leito no hospital com todos os tipos de tubos ligados ao meu corpo quando meu pai finalmente veio me ver”, a mulher recordou. “Falamos por aproximadamente uma hora, e em seguida ele se levantou e saiu. Quando ele abriu a porta, suponho que enlouqueci. Comecei a gritar: ‘Você simplesmente não pode dizer, pode?’ Ela gritou ainda mais alto, “Estou morrendo e você ainda não pode dizer!”

Seu pai perguntou: “Dizer o que?”

“Eu amo você”, disse ela.

Ele finalmente se abateu e começou a soluçar. Foi até à beira da cama e no meio de suas lágrimas disse aquelas palavras que a jovem senhora precisava tão desesperadamente ouvir.

Os pais precisam ser amáveis. Seus corações precisam fundir-se com as almas de seus filhos. Homens verdadeiros podem ser homens amáveis.

Por uma série de fatores, talvez seja muito difícil para nós expressarmos o que sentimos por nossos filhos e esposa. Porém, temos que ter em mente a importância dessas manifestações na vida de nossos familiares.

A esposa que recebe palavras de amor de seu marido se torna mais feliz. Os filhos que ouvem um “eu te amo” sincero do pai passam a amá-lo mais e se tornam adultos bem resolvidos consigo, mais seguros. Além disso, pelo exemplo dado, também aprendem a expressar seus sentimentos. Isso se torna um círculo virtuoso, e cada vez mais famílias passarão a experimentar um ambiente saudável e amoroso.

Experimente demonstrar mais afeto aos seus filhos e esposa por uma semana, e veja o resultado. Garanto que você não vai mais querer parar.

Esta entrada foi publicada em Família. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Escreva um comentário