Independência ou morte

Setembro é o mês em que comemoramos a independência do Brasil. Desde pequenos aprendemos que, no dia 7 de setembro de 1822, às margens do riacho Ipiranga, o príncipe regente D. Pedro bradou a célebre frase “Independência ou morte!”, rompendo assim com a Corte Portuguesa.

Ser independente é ser livre, é gozar de autonomia.

A Bíblia ensina que Cristo nos libertou:

“Foi para a liberdade que Cristo nos libertou. Portanto, permaneçam firmes e não se deixem submeter novamente a um jugo de escravidão.” (Gálatas 5:1)

Porém, apesar da liberdade proporcionada por Jesus, há quem, conscientemente ou não, prefira a dependência e vive em escravidão.

O homem pode ser dependente de muitas coisas, como cigarro, álcool, jogos de azar e pornografia. Os vícios em geral são exemplos claros de dependência.

Mas existem as dependências que são sutis, mascaradas de boa aparência, que também impedem uma vida de verdadeira liberdade. Dou como exemplo algo que aconteceu comigo, há vários anos.

Desde criança eu era apaixonado por motos. Talvez por influência do seriado Chip´s, onde os personagens Jon Baker e Frank Poncherello patrulhavam as estradas da Califórnia pilotando motocicletas imponentes (clique aqui para ver a abertura).

Cresci querendo uma moto, mas meu pai sabiamente não me permitia ter uma, alegando ser perigoso. Entretanto, o desejo de experimentar a liberdade e o vento no rosto não saía do meu coração.

Por um bom tempo, eu não pensava em outra coisa que não tivesse duas rodas. Ficava horas pesquisando modelos em revistas e pela internet.

Sem perceber, deixei algo que aparentemente não traria mal algum dominar minha vida. Também sem perceber, privei minha esposa de minha companhia à noite, pois estava “ocupado” demais querendo saber qual modelo teria o melhor custo x benefício.

Mais tarde, Deus interveio e retirou de mim essa obsessão, mostrando-me quão escravo eu era de algo que, como disse, não trazia em si mal ou prejuízo.

Paulo, em sua primeira carta aos Coríntios, escreve:

“’Tudo me é permitido’, mas nem tudo convém. ‘Tudo me é permitido’, mas eu não deixarei que nada domine.” (1 Coríntios 6:12)

Homem, não permita que nada, a não ser Cristo, domine sua vida. Você é líder de sua casa, e a boa liderança só pode ser exercida em liberdade. Convido-o a refletir por alguns minutos, analisando se há algo em sua vida que o torna dependente. Ainda que seja um hobby, avalie se está gastando com ele mais tempo, dinheiro e dedicação do que com sua esposa e filhos. Se tiver dúvida, peça a Deus que lhe mostre claramente e, caso perceba que algo sutilmente o domina, conte com Ele para proclamar sua independência!

Esta entrada foi publicada em Liderança. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

2 comentários para "Independência ou morte"

  1. Estevam Melo 25 de setembro de 2012 às 10:33 am 1

    Texto maravilhoso…
    Realmente, como gastamos o nosso tempo com coisas inúteis.. obrigado Eduardo, eu precisava ouvir isso.. Que o Senhor continue lhe abençoando e colocando ânimo em seu coração, não deixe de escrever, o Senhor fala conosco através de sua vida.. abs irmão !

  2. celia marcondes 26 de setembro de 2012 às 11:30 am 2

    Olhar para trás, fazer uma avaliação do que fomos e como somos diferentes hoje é constatar a dimensão de nosso crescimento. Obrigada Eduardo por dividir sua experiência conosco. Obrigada por expor, assim a olho nu, a existência de brasileiros de primeira grandeza como você que estão construindo dia a dia uma família modelo. É o que Deus espera de nós.


Escreva um comentário