O salão da manicure

esmalte

Nesta semana o Brasil parou. Ficamos sem WhatsApp às vésperas do final de uma semana repleta de acontecimentos marcantes. O de maior repercussão, no entanto, não foi no campo político, mas no dos relacionamentos. A história de um homem que flagrou sua esposa saindo de um motel com seu melhor amigo foi destaque nas redes sociais e no aplicativo de mensagens. Mas por acaso isso lá é novidade?

Traição conjugal não é coisa da era digital. Infelizmente, existe desde que o mundo é mundo. O que me chamou a atenção foi o tamanho da exposição. O vídeo do flagrante viralizou, seguido dos famosos memes e dos vídeos íntimos do casal, gravados pelo amante (não necessariamente nessa ordem). Refletindo sobre o efeito devastador e duradouro das consequências do adultério na vida dos envolvidos (a internet é uma senhora cruel que não esquece), fui pesquisar o que a Bíblia fala sobre o tema. Sim, a Bíblia fala sobre isso! Uma busca rápida no www.bibliaonline.com.br me indicou 41 versículos no Velho Testamento e 22 no Novo Testamento a respeito de adultério. Não vou transcrever os 63 versículos, mas alguns pontos merecem a sua atenção.

Desde os primórdios Deus adverte para que não adulteremos. Não adulterarás é um dos dez mandamentos (Êxodo 20:14 e Deuteronômio 5:18).

Era punido, no Velho Testamento, com a morte de ambos, e não somente da mulher, como pensam algumas pessoas.

Também o homem que adulterar com a mulher de outro, havendo adulterado com a mulher do seu próximo, certamente morrerá o adúltero e a adúltera. (Levítico 20:10)

Adúlteros e adúlteras, não sabeis vós que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto, qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus. (Tiago 4:4)

O adultério é pecado e nos afasta de Deus.

Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus. (1 Coríntios 6:10)

Deu para perceber que a coisa é séria, não é? E vai ficar ainda mais… No sermão da montanha, Jesus ensinou o seguinte:

Ouvistes que foi dito aos antigos: Não cometerás adultério.
Eu, porém, vos digo, que qualquer que atentar numa mulher para a cobiçar, já em seu coração cometeu adultério com ela.
Portanto, se o teu olho direito te escandalizar, arranca-o e atira-o para longe de ti; pois te é melhor que se perca um dos teus membros do que seja todo o teu corpo lançado no inferno.
E, se a tua mão direita te escandalizar, corta-a e atira-a para longe de ti, porque te é melhor que um dos teus membros se perca do que seja todo o teu corpo lançado no inferno. (Mateus 5:27-30)

Ou seja, o adultério surge e se consuma no coração, independentemente de ter havido relação sexual! A diferença entre o pensamento e a ação está apenas no impacto a curto prazo que uma ou outra atitude causará na vida dos envolvidos. Explico. Num primeiro momento, adulterar de fato trará consequências muito mais dolorosas do que o “simples” cobiçar no coração (aquela espiada no site pornô, no vídeo que te mandaram…). Porém, ambas atitudes acarretam o mesmo resultado final: distanciamento eterno de Deus.

Mas espere! Seus problemas acabaram! Você pode vacinar seu coração contra o adultério (e demais pecados)!

Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai. (Filipenses 4:8)

Por fim, vale lembrar que há esperança e perdão aos que se arrependem genuinamente. Veja como Jesus agiu diante de um flagrante de adultério:

Jesus, porém, foi para o Monte das Oliveiras.
E pela manhã cedo tornou para o templo, e todo o povo vinha ter com ele, e, assentando-se, os ensinava.
E os escribas e fariseus trouxeram-lhe uma mulher apanhada em adultério;
E, pondo-a no meio, disseram-lhe: Mestre, esta mulher foi apanhada, no próprio ato, adulterando.
E na lei nos mandou Moisés que as tais sejam apedrejadas. Tu, pois, que dizes?
Isto diziam eles, tentando-o, para que tivessem de que o acusar. Mas Jesus, inclinando-se, escrevia com o dedo na terra.
E, como insistissem, perguntando-lhe, endireitou-se, e disse-lhes: Aquele que de entre vós está sem pecado seja o primeiro que atire pedra contra ela.
E, tornando a inclinar-se, escrevia na terra.
Quando ouviram isto, redarguidos da consciência, saíram um a um, a começar pelos mais velhos até aos últimos; ficou só Jesus e a mulher que estava no meio.
E, endireitando-se Jesus, e não vendo ninguém mais do que a mulher, disse-lhe: Mulher, onde estão aqueles teus acusadores? Ninguém te condenou?
E ela disse: Ninguém, Senhor. E disse-lhe Jesus: Nem eu também te condeno; vai-te, e não peques mais. (João 8:1-11)

E se você se reconheceu como adúltero, busque o perdão que só Jesus pode dar.

Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado.
Se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e não há verdade em nós.
Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça.
Se dissermos que não pecamos, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós. (1 João 1:7-10)

Paz!

 

Esta entrada foi publicada em Casamento e marcada com a tag , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Escreva um comentário